você está aqui: Home  → Arquivo de Mensagens

Nuvem passageira

Por Cesar Brod

Data de Publicação: 07 de Junho de 2011

Quando virá a nova aposta tecnológica que substituirá a computação na nuvem? Por curiosidade, repita a pesquisa que acabo de fazer no Google e veja quais resultados obtém para os seguintes termos:

  • Google Cloud (360 milhões)
  • Microsoft Cloud (234 milhões)
  • Apple Cloud (204 milhões)
  • IBM Cloud (88 milhões)
  • Oracle Cloud (56 milhões)

O resultado de cada página de respostas traz, em seus primeiros links, a explicação da estratégia de cada uma destas empresas com relação à computação em nuvem, ou na nuvem. Eu mesmo sou um grande usuário da nuvem. Começamos a usar o Google Docs aqui na empresa em 2006 e esta foi a solução que encontramos para trabalhar continuamente nossos documentos em conjunto, independente de onde estão os colaboradores.

De fato, foi o Google quem definiu a nuvem em seu sentido prático e é o mais ousado em propor um sistema operacional cujo "hardware" será a própria nuvem. Dois desenvolvimentos de sistemas operacionais seguem lado a lado no Google: o Android para os dispositivos móveis e o ChromeOS para a nuvem. Como ambos têm por base o Linux, acho que não demora muito para eles acabarem por mesclar-se em uma coisa só. O já anunciado ChromeBook promete ser um tablet/netbook que vai rodar apenas um navegador muito rápido: seus programas e arquivos estarão todos na nuvem do Google.

A Microsoft, dentre outras coisas, promete levar seu XBOX 360 para a nuvem e permitir, com isso, que um jogador compartilhe melhor seu desempenho nos jogos e possa, de qualquer console, seguir um jogo iniciado em qualquer outra.

A Apple acena com uma independência de seus dispositivos, cada um deles passando a ser mais um cliente da "sua" nuvem. Grifo no "sua". O novo sistema operacional Lion, mesmo mantendo suas raízes no bom e velho Unix, vem totalmente integrado à Apple Store e a programas que sincronizam informações entre todos os seus dispositivos rodando o Lion ou o iOS 5.

A IBM deve manter-se especialmente como uma grande empresa de infraestrutura para a nuvem. Afinal, independente de onde a nuvem estiver, no fundo ela vai precisar de hardware de verdade para funcionar, assim como servidores web muito confiáveis.

A Oracle ninguém entende direito o que faz.

Recentemente conversei com Jon "maddog" Hall sobre o assunto, em uma entrevista feita para a divulgação da Latinoware 2011. Dentre muitas coisas ele diz preferir que a nuvem, ou ao menos parte dela, esteja localizada no porão de sua casa e que lá exista alguém que o ouça e tome alguma atitude quando ele tiver algum problema com seu hardware ou software. Ele também questiona a questão da privacidade e problemas que ainda devem ser resolvidos: "não será mais fácil roubar dados de cartão de crédito que estão na nuvem?".

Eu confio no Google ao deixar muitos de meus documentos pessoais e de nossa empresa em sua nuvem, mas confesso sentir um certo frio na espinha quando descubro o quanto, cada vez mais, o Google me conhece. Eles dizem que não farão o mal. O fato é que estamos, ao menos a grande maioria de todos nós, entregando para a tal da nuvem (Facebook incluso) porções cada vez maiores de nossos dados pessoais, privados e confidenciais. Estamos confiando demais em uma entidade tão abstrata quanto a nuvem?

O filósofo gaúcho Hermes Aquino disse, profeticamente, um dia:

"Eu sou nuvem passageira
que com o vento se vai.
Eu sou como um cristal bonito
que se quebra quando cai."

Sobre o autor

Cesar Brod é empresário e consultor nos temas de inovação tecnológica, tecnologias livres, dados abertos e empreendedorismo. Sua empresa, a BrodTec, faz também trabalhos tradução e produção de conteúdo em inglês e português. Além de sua coluna, Cesar também contribui com dicas para o Dicas-L e mantém um blog com aleatoriedades e ousadias literárias. Você pode entrar em contato com ele através do formulário na página da BrodTec, onde você pode saber mais sobre os projetos da empresa.

Mais sobre o Cesar Brod: [ Linkedin ] | [ Twitter ] | [ Tumblr ].


Para se manter atualizado sobre as novidades desta coluna, consulte sempre o newsfeed RSS

Para saber mais sobre RSS, leia o artigo O Padrão RSS - A luz no fim do túnel.

Recomende este artigo nas redes sociais

 

 

Veja a relação completa dos artigos de Cesar Brod