você está aqui: Home  → Arquivo de Mensagens

Presidente da 4Linux solicita esclarecimentos e congratula Microsoft

Colaboração: Rodolfo Gobbi

Data de Publicação: 24 de agosto de 2013

Rodolfo Gobbi solicitou à Microsoft esclarecimentos sobre a redução de custos citada em notícia publicada pela empresa sobre projeto com a CEF, congratulando-a de modo "peculiar".

Em resposta a um depoimento sobre um projeto da Microsoft com a Caixa Econômica Federal cujo título é "Caixa Econômica Federal adota soluções Microsoft para redução de custos e melhor interoperabilidade" (em tradução livre, do inglês), Rodolfo Gobbi solicitou à empresa de Bill Gates alguns esclarecimentos a respeito da citada redução de custos, bem como estende à companhia uma congratulação que pode ser classificada no mínimo como "peculiar".

Segundo Luís Fernando Patrici, "Account Executive" da Microsoft no Brasil e responsável pela publicação do "case" envolvendo a Caixa, o banco brasileiro decidiu adotar um conjunto robusto de soluções Microsoft, incluindo o Windows Server 2012, o Windows 8 e o Microsoft Office, com o objetivo de melhorar as condições de trabalho de seus 118 mil funcionários e 3.000 agências. Com isso, a Caixa teria percebido uma ampla gama de melhorias de eficiência de comunicações simplificadas, passando por maior produtividade móvel e chegando a economias de custo significativas. O post completo, contendo tanto a publicação da Microsoft quanto a resposta da 4Linux, pode ser lido (em inglês) no seguinte link:

http://blogs.technet.com/b/openness/archive/2013/08/19/openness-caixa-microsoft-cost-savings-improved-interoperability.aspx

Traduzimos a resposta do presidente da 4Linux a seguir. As questões dele são válidas e aguardamos ansiosamente por uma reação tanto da Microsoft quanto da própria Caixa.

"Olá Luis Fernando,

Meu nome é Rodolfo Gobbi e sou o presidente da 4Linux (www.4linux.com.br). Por 5 anos, a 4Linux foi a empresa que forneceu o suporte à Caixa para a implementação do Linux nos terminais de autoatendimento da empresa (caixas eletrônicos), bem como nas máquinas utilizadas nas lotéricas. A Caixa ficou sem suporte a esse ambiente desde outubro de 2011 e a 4Linux atualmente fornece suporte à Caixa apenas para o ExpressoMail (uma solução de e-mail de código aberto).

Em relação à notícia acima, eu tenho tanto um 'pedido' a lhe fazer quanto 'parabéns' a lhe dar:

1 - Seria muito mais transparente e lhe daria muito mais credibilidade se, no corpo da sua notícia, você explicasse as 'economias de custo' mencionadas em seu título. Para fazer jus às palavras 'diálogo aberto' no slogan de 'abertura', você poderia nos mostrar dados que deem suporte às afirmações de redução de custos resultantes desse projeto.

Como há pessoas que não concordam com o seu ponto de vista de redução de custos, e acreditam que a Caixa não fez um bom negócio com essa aquisição, tendo apresentado uma queixa ao Ministério Público Federal, em Brasília (protocolo PR-DF-00021539/2012 ? Peça de Informação nº 1.16.000.001871/2012-77) e também ao Ministério Público do Rio de Janeiro (Reclamação Pública nº 1.30.001.004072/2012-73, registrada sob o nº 2012.06.21.152413), acredito que se você mostrasse dados concretos sobre essa redução de custos, poderia esclarecer as dúvidas que essas pessoas têm sobre este assunto.

2 - Eu gostaria também de parabenizá-lo por conseguir gravar e postar um depoimento em vídeo a respeito desse projeto (que ainda está em fase EXPERIMENTAL) e usar a excelente reputação da Caixa para gerar novos negócios para a Microsoft. A 4Linux implementou Linux em mais de 80.000 terminais de autoatendimento a serviço dos cidadãos e clientes da Caixa. A 4Linux repetidamente tentou gerar um depoimento em vídeo como o que você gravou e muitas vezes ouviu a frase 'não é o papel de uma empresa pública dar testemunhos para alavancar negócios para uma empresa privada'. Linux nos caixas eletrônicos e nos terminais lotéricos da Caixa são projetos que já estão em PLENA produção por ANOS, e seu projeto se encontra ainda em fase PILOTO (conforme afirmado no seu depoimento em vídeo, mas ao contrário do que você escreveu em seu artigo), enfrentando os problemas típicos de projetos desse porte, mas você já conseguiu autorização para divulgar depoimentos! A mesma explicação de que 'não é o papel de uma empresa pública alavancar o negócio de uma empresa privada' foi utilizada quando a 4Linux tentou realizar doações à Caixa. A 4Linux tentou em vão doar treinamentos Linux aos funcionários da Caixa, a fim de treinar as pessoas em como usar o Linux e em como torná-lo mais útil dentro da Caixa, mas foi proibida. Já a Microsoft pôde doar através desse contrato (entre outros benefícios gratuitos) mais de 15.000 licenças para que os funcionários da Caixa possam usar o pacote Microsoft Office em casa gratuitamente, algo que os clientes da Caixa e outras pessoas no Brasil não podem fazer.?

Enquanto veículo de mídia, pretendemos solicitar à Microsoft e à Caixa uma declaração a respeito da notícia original, bem como sobre os questionamentos do presidente da 4Linux, e as publicaremos assim que as recebermos.

Notícia publicada originalmente no portal da Revista LinuxMagazine



Veja a relação completa dos artigos de Rodolfo Gobbi

 

 

Opinião dos Leitores

joao paulo cunhado
29 Ago 2013, 12:01
Sou funcionario da Caixa e tenho uma denuncia anonima a fazer. Postei meu comentario no blog oficial da Microsoft e como la eh controlado estou fazendo essa mesma denuncia aqui.

No blog oficial da Microsoft tem uma pessoa que se diz funcionario da CAIXA, de nome Jose Eduardo, defendendo o fornecedor Microsoft. Minha denuncia nao eh apenas sobre este funcionario de nome ficticio. Minha denuncia eh outra:


Minha resposta ao Sr. Jose Eduardo :

Tambem sou funcionario da CAIXA e parece que trabalhamos em empresas diferentes pois o que ouco nos corredores durante os cafezinhos eh bem diferente do seu post. Acho estranho voce funcionario publico responder por fornecedor. Voces nao acham estranho um funcionario publico defender um fornecedor bilionario?

Trabalho ha anos aqui e nao gostaria de ver o nome da CAIXA envolvida com compras de TI que me envergonham. Gostaria que o TCU investigasse as doacoes feitas e a cumplicidade de DIRETORES? em pagar mais caro em um pregao sem concorrencia com poucos e ridiculos lances no mesmo momento em que um MENSALEIRO (QUE COLOCOU O DIRETOR DE TI AQUI DENTRO DA CAIXA POR SUA ORDEM) condenado pelo STF, precisa pagar milhoes para seus advogados....

Se a decisao fosse tecnica o software livre ganharia todas. Como eh por lobby e politica (MENSALEIRO PRECISANDO DE DINHEIRO PARA PAGAR ADVOGADO COMO SE DIZ NOS CORREDORES AQUI) vai perder sempre. O TCU deveria seguir o dinheiro e se confirmado o que falam nos corredores o DIRETOR DE TI deveria ser expulso. Inclusive quem o poia E QUEM SE FAZ DE OMISSO perante este DIRETOR DE TI.

O software livre esta sendo ridicularizado no blog oficial da MS. Por isso decidi postar isso la como denuncia:

http://blogs.technet.com/b/openness/archive/2013/08/19/openness-caixa-microsoft-cost-savings-improved-interoperability.aspx

Assino como Joao Paulo Cunhado
Jaime Roberto
29 Ago 2013, 06:00
... e ainda assim, nada se há dito sobre a Soberania Nacional em uma missão critica como é a função social da CEF. Se consideramos tão somente o fato de sistemas Windows funcionarem sob código proprietário (fechado)onde não sabemos o que e está rolando por debaixo dos panos.

Enquanto isso, no Linux tudo pode ser analisado e construído de maneira a termos todo o código acessível.

É mais do que uma luta de partidos políticod, é questão de SOBERANIA !
Geraldo
28 Ago 2013, 15:56
Olha pessoal isso ja ta fedendo..Alguém ja levou vantagem e continuara levando. Sou funcionario publico e trabalho com TI em nossa instituição Windows entra somente em ultimo caso quando não tem mais como escapar. Agora em instituição publica é "facil" gastar o dinheiro pois o mesmo não sai do bolso dos gestores e sim do nosso.. Então eles não estão muito interessados no custo.. cabe ai uma auditoria e que que o TCU, CGU e Ministério Público fique de olho em mais essa vergonha.
Roger
27 Ago 2013, 00:09
Corrigindo: "quaisquer outras empresas privadas"
Roger
27 Ago 2013, 00:05
Sem delongas, como servidor público, penso que que Caixa Econômica jamais deveria ter feito esse tipo depoimento. Nem para M$, nem para a 4Linux ou para quaisquer outra empresa privada. Será que algum servidor da Caixa saiu ganhando? Será que tal depoimento faz parte do negócio? Se faz parte do negócio estaria dentro da lei? Seria moral? Enquanto usuário, os serviços tecnológicos Caixa Econômica são péssimos, arcaicos, burros. Começando pelos caixas eletrônicos. A Caixa está anos atrás dos serviços tecnológicos do Banco do Brasil. Mas isso não tem nada a ver com o uso do Linux, afinal, o Banco do Brasil usa Linux e, no meu ponto de vista, possui os melhores recursos tecnológicos bancários e sempre está inovando. Trabalhei 10 anos com TI no serviço público e uma coisa que percebi é que todos querem facilidade, praticidade, rapidez e, SOBRETUDO, QUEM RESOLVA os problemas. Em Brasília é muito fácil escalar técnicos da Microsoft. Você chama o júnior e se ele não resolver você pode escalar até o pica das galáxias facilmente. Ele vem e resolve. Já Linux não é bem assim... Há dificuldades... Sofria com isso. Lembro que uma vez procurava soluções de virtualização e não consegui nem se quer encontrar empresas que trabalhavam com o Linux para me apresentar soluções. Como ia ter suporte? Não sei em SP, mas em Brasília não achei fácil manter uma entidade pública com o Linux. Falta empresas capacitas, empresas pica das galaxias. Se eu sou coordenador de TI de uma entidade pública QUERO quem resolva os meus problemas. Quanto custa uma entidade pública parada? Lembro que uma vez o setor financeiro da entidade em que eu trabalhava fez parcialmente esse cálculo, era uma instituição relativamente pequena, deveria ter uns 300 servidores/funcionários. Se não me engano POR DIA parado a entidade pública GASTAVA À TOA por volta R$500 mil, ISSO SEM LEVAR EM CONTA o custo social, o prejuízo a sociedade, ao Brasil. Quem gostaria de ser cobrado por esse custo?
Rodrigo Furtado
26 Ago 2013, 20:36
Eu penso que a Caixa tem total liberdade para escolher a solução que lhe seja mais conveniente. Inclusive achei falta de ética profissional da 4Linux contestar essa escolha em público (que fique um alerta aos seus demais clientes).
Particularmente, avalio que uma solução Microsoft é bastante robusta e confiável. O único problema de soluções Microsoft em comparação com soluções Linux e de software livre é tão somente o custo, de modo que quando esse custo é algo que equilibra a relação custo-beneficio, a solução Microsoft pode vir a ser mais interessante.
O custo não envolve apenas custo de licenças. Sabe lá qual o pacote de serviços adquirido junto à Microsoft.
Mas enfim, quem tem que avaliar isso é a Caixa e diga-se de passagem que a Caixa não precisa prestar esclarecimento quanto a essa decisões. Como orgão público, o fornecimento de produtos e serviços passa por licitação, mas é totalmente livre para especificar a solução a ser licitada.
Me espanta a comunidade de SL se incomodar com a liberadde alheia.

Outra coisa, eu uso Liunx, sempre usei, Já usava Unix há uns 25 anos atrás, e uso o LibreOffice, No meu trabalho, as pessoas não se adaptaram ao LibreOffice e de fato é um software chato para algumas coisas. As pessoas até tentam, mas não querem perder tempo em se adaptar, precisam produzir imediatamente. Uma licença full custando menos de R$ 200,00 é algo acessível, que vale muito a pena para quem gosta do Office e não quer saber de mudar. Acho que é questão de escolha, de liberdade de escolha! O LibreOffice é gratuito? É! Mas se o sujeito tem dinheiro e pŕefere o Office, que compre o Office e seja feliz.
Para um orgão público, quem tem que avaliar o que é melhor e piuor é o TI do tal orgão... e ponto. A 4Linux está defendendo o peixe dela, mas também não faz nada de graça para Caixa não.

Acho um porre as tais "bandeiras" : badeira do software livre, bandeira do Linux, ai temos bandeira do RedHat, bandeira do Ubuntu, e por assim vai. Sei lá, tenho mais o que fazer. Eu uso de tudo um pouco, sem preconceito.
Pedro Alexandrino
26 Ago 2013, 11:36
... Corrigindo: quando falo do LibreOffice, me refiro à comparação de custo e exigência de hardware comparado ao M$ Office.
Será que desta vez finalmente, sairá uma investigação do cartel da M$ no Brasil? Olhe, se isto acontecer, o cartel da Simiens do PSDB e o Mensalão do PT parecerão dinheiro de pinga, comparado ao que a M$ deve fazer há quase duas décadas no Brasil.
Pedro Alexandrino
26 Ago 2013, 11:29
Em primeiro lugar, é uma vergonha o Governo Federal do PT, que sempre (até então...) se engajou em estimular projetos de SL, agora se "consorcia" de maneira vergonhosa com a M$. Sempre fui acostumado a ver isto em empresas governamentais comandadas pelo PSDB e pelo DEM... Realmente mais uma grande decepção. Com certeza, tem a mão de seu aliado tão corrupto quanto ele mesmo - o PMDB.
E para concluir, digo que todas os questionamentos do Presidente da 4Linux correspondem às nossas desconfianças também. Desde quando produtos da M$ são sinônimos de comunicação simplificada, maior produtividade e baixo custo???
Não dá nem para comparar as exigências de Hardware que sistemas e aplicativos da M$ exigem, comparados a distribuições como o Debian e o LibreOffice, por exemplo. E sobre custo... bom, acho que uma boa gargalhada já diz tudo. Rs!
SneepS
26 Ago 2013, 08:36
Eu fico tão indignado quando o Sr. Rodolfo, é um negócio desleal, a caixa esta aderindo a Microsoft por comodismo das pessoas que tem o poder de decisão, em vez de realmente fazer economia e "aprender" a usar linux ficam tentando se justificar para usar produtos microsoft que são altamente caros, cheios de falhas e pouca segurança, pelos simples prazer de uma tela mais "amigavel".
ewerton
25 Ago 2013, 15:05
Quero ver quando os Hackers começarem a atacar os sistemas falhos do Windows!!!
José Márcio
24 Ago 2013, 14:03
E cheira mal mesmo. Desde o escândalo do DEM no DF onde empresas de TI,supostamente, estavam envolvidas, ficou claro que o financiamento de campanha tem participação forte do setor de TI. Porque razão a Microsoft ficaria de fora? Me deixa muito decepcionado o governo do PT entrar nessa.
Bruno Souza
24 Ago 2013, 11:58
Mas que absurdo, a Caixa Econômica como órgão público deveria investir em software livre, e não em um projeto experimental de uma empresa que não aceita concorrentes no mercado. Dar licenças de graça para os funcionários isso não existe, está cheirando mal.
*Nome:
Email:
Me notifique sobre novos comentários nessa página
Oculte meu email
*Texto:
 
  Para publicar seu comentário, digite o código contido na imagem acima
 


Powered by Scriptsmill Comments Script