você está aqui: Home  → Arquivo de Mensagens

O comando paste - combinação de linhas de arquivos - Parte 2/2

Colaboração: Júlio Neves

Data de Publicação: 05 de outubro de 2017

Ontem nós falamos sobre o comando paste, vamos explorá-lo um pouco mais: Com o comando paste você também pode montar formatações exóticas como esta a seguir:

$ ls | paste -s -d'\t\t\n'
arq1 arq2 arq3
arq4 arq5 arq6

O que aconteceu foi o seguinte: foi especificado para o comando paste que ele transformaria linhas em colunas (pela opção -s) e que os seus separadores (é...! Ele aceita mais de um, mas somente um após cada coluna criada pelo comando) seriam uma <TAB>, outra <TAB> e um <ENTER>, gerando desta forma a saída tabulada em 3 colunas. Agora que você já entendeu isto, veja como fazer a mesma coisa, porém de forma mais fácil e menos bizarra e tosca, usando o mesmo comando mas com a seguinte sintaxe:

$ ls | paste - - -

arq1 arq2 arq3
arq4 arq5 arq6

E isto acontece porque se ao invés de especificarmos os arquivos colocarmos o sinal de menos (-), o comando paste os substitui pela saída ou entrada padrão conforme o caso. No exemplo anterior os dados foram mandados para a saída padrão (stdout), porque o pipe (|) estava desviando a saída do ls para a entrada padrão (stdin) do paste, mas veja o exemplo a seguir:

$ cat arq1
predisposição
privilegiado
profissional

$ cat arq2
encher
mário
motor

$ cut -c-3 arq1 | paste -d "" - arq2
preencher
primário
promotor

Neste caso, o cut devolveu as três primeiras letras de cada registro de arq1, o paste foi montado para não ter separador (-d"") e receber a entrada padrão (desviada pelo pipe) no traço (-) gerando a saída juntamente com arq2.

Sobre o autor

Júlio Cézar Neves

O 4º UNIX do mundo nasceu na Cidade Maravilhosa, mais precisamente na Cobra Computadores, onde à época trabalhava o Julio. Foi paixão à 1ª vista! Desde então, (1980) atua nessa área como especialista em Sistemas Operacionais e linguagens de programação. E foi por essa afinidade que quando surgiu o Linux foi um dos primeiros a estudá-lo com profundidade e adotá-lo como Sistema Operacional e filosofia de vida. É autor dos livros Programação Shell Linux, 11ª edição e Bombando o Shell.


Veja a relação completa dos artigos de Júlio Neves

 

 

Opinião dos Leitores

Seja o primeiro a comentar este artigo
*Nome:
Email:
Me notifique sobre novos comentários nessa página
Oculte meu email
*Texto:
 
  Para publicar seu comentário, digite o código contido na imagem acima
 


Powered by Scriptsmill Comments Script